sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Conferência de Imprensa - Horta

Tal como estava previsto, hoje foi apresentado o Colectivo do Faial à Comunicação Social.
Estiveram presentes jornalistas da RTP, da Antena 1 Açores e do semanário Tribuna da Ilhas.

A Agência Lusa noticiou este evento:
Açores: PEV contesta "lixeira a céu aberto" para tratamento de resíduos em S. Jorge

Horta, 06 Fev. (Lusa) - o Núcleo do Faial da Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV) contestou hoje aquilo que considera ser a má gestão de resíduos sólidos na ilha de São Jorge, que são encaminhados para uma "lixeira a céu aberto".

Em conferência de Imprensa, realizada na cidade da Horta ao início da tarde de hoje, a líder local de "Os Verdes", contestou o tipo de encaminhamento dos resíduos locais.
Segundo explicou, o "pseudo-aterro sanitário de São Jorge não passa de uma lixeira a céu aberto", onde são queimados, simultaneamente, "esferovite, pneus e até carcaças de animais".
Este é um cenário que o Partido Ecologista quer ver banido de uma região que deve oferecer ainda melhores condições de vida a quem vive nas ilhas ou a quem as visita, explicou a dirigente partidária.
Confrontada com a existência de problemas semelhantes no aterro sanitário do Faial, gerido pela autarquia PS/CDU, Cristina Carvalhinho foi menos crítica, salientando o trabalho que o vereador José Decq Mota tem efectuado naquela estrutura, no sentido de dotá-la de uma nova célula para a deposição de lixos.
A líder local do PEV elegeu também a gestão dos recursos hídricos como um aspecto fundamental na política ambiental do partido.
Cristina Carvalhinho adiantou ainda que "Os Verdes" vão concorrer nas eleições autárquicas deste ano, de novo em coligação com o PCP, e manifestou o desejo do partido garantir um assento na Assembleia Municipal da Horta.
A dirigente ecologista lamentou, por outro lado, que o seu partido não tenha conseguido eleger um candidato ao Parlamento açoriano nas Legislativas Regionais de Outubro passado, mas recordou que o deputado Aníbal Pires, do PCP e eleito pela CDU, é um digno representante da voz e dos interesses do PEV.
A conferência de Imprensa serviu também para anunciar que o Partido Ecologista os Verdes está a reestruturar os seus núcleos de ilha e a preparar a sua participação na XIª Convenção Nacional, que irá decorrer a 13 e 14 de Março.
Em resposta a estas acusações, o presidente da Câmara das Velas, ilha de São Jorge, admitiu à agência Lusa que o aterro sanitário do concelho "não tem a modernidade que devia ter".
António Silveira admite que o aterro já não serve os interesses do concelho e que em breve, os dois municípios da ilha (Velas e Calheta) vão construir um novo aterro conjunto, com o apoio do Governo Regional.
"O Governo já apresentou o projecto do novo aterro na última visita estatutária à ilha, por isso, não se justifica investirmos no actual aterro", sublinhou o autarca do PSD.
António Silveira admite também que sejam colocadas carcaças de animais no aterro, mas nega que os resíduos sejam queimados e garante que os pneus e os óleos lá depositados, destinam-se a exportação.
RF.

1 comentário:

Riick disse...

Desconhecia esta situação do “pseudo-aterro sanitário” de São Jorge não passar de uma lixeira a céu aberto, e sem qualquer tipo de dúvida, este problema em S. Jorge deverá ser resolvido com alguma urgência. Este tipo de situações provoca um mau aspecto das ilhas, seja para os visitantes como para os locais, além de serem um enorme risco para a saúde da população e do meio ambiente.