quinta-feira, 15 de março de 2012

Barbárie contra os animais fica impune?

Tal como já foi referido aqui anteriormente (ver texto), durante o chamado “II Fórum Mundial da Cultura Taurina”, realizado recentemente na ilha Terceira, teve lugar um espectáculo tauromáquico ilegal de "sorte de varas". Este evento, denominado pelos organizadores como "tenta pública", foi possível graças ao generoso subsídio de 75.000 € oferecido pelo Governo Regional para a realização deste Fórum.

Recentemente, uma centena de pessoas enviou à Assembleia Legislativa dos Açores um pedido de esclarecimento sobre a realização deste espectáculo. Transcreve-se aqui o conteúdo da carta:

"Sua Excelência Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, Suas Excelências Presidentes dos Grupos Parlamentares e Representantes Parlamentares,

A Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores decidiu no dia 14 de Maio de 2009 rejeitar a introdução nos Açores da chamada “sorte de varas” nos espectáculos tauromáquicos realizados na Região, prática que no caso de ser permitida viria aumentar barbaramente o sofrimento e os maus tratos aplicados aos touros e cavalos obrigados a participar em tais espectáculos.

Considerando esta decisão, muito nos surpreendeu ver no âmbito do chamado “II Fórum da Cultura Taurina”, decorrido na ilha Terceira entre os dias 25 e 28 de Janeiro e financiado pelo Governo Regional numa quantia no valor de 75.000 €, a realização dum espectáculo tauromáquico no dia 28 de Janeiro denominado pela organização como “Tenta pública na Praça da Ilha Terceira”.

Só recentemente nos foi dada a oportunidade de ver fotografias do referido espectáculo e perceber a autêntica natureza e características deste evento. Estas fotografias mostram claramente touros e cavalos a serem utilizados na prática da referida “sorte de varas”.

Perante aquilo que consideramos um profundo desrespeito às decisões tomadas pela Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, solicitamos à Presidência da Assembleia e aos Presidentes dos Grupos Parlamentares que:

- Emitam um comunicado manifestando a sua posição oficial sobre este acto ilegal e de desrespeito à decisão tomada pela Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores e pelos seus deputados ao proibir a introdução da “sorte de varas” nos Açores;

- Exijam uma explicação pública ao Governo Regional, órgão executivo, por ter financiado uma prática ilegal, desrespeitando uma deliberação da Assembleia Regional.

- Tomem as medidas pertinentes para que situações como estas não se voltem a repetir, e com a agravante de serem financiadas pelo dinheiro dos contribuintes."


Será este mais um acto de barbárie contra os animais que fica impune? E ainda por cima com o agravante de ter sido pago por todos os açorianos, cúmplices involuntários, através dos seus impostos, deste evento ilegal?

Sem comentários: