sexta-feira, 17 de junho de 2011

Novo mapa da Europa

Acabadas as eleições, o programa político do FMI para Portugal vai começar a sair à luz. E finalmente os portugueses vão perceber as autênticas medidas defendidas em uníssono pela troika de partidos do FMI: PS/PSD/CDS.

Estes partidos estão agora a estrear uma nova e flamante repartição do poder. Mas este poder de muito pouco vai valer-lhes se finalmente for concretizado o novo modelo de mapa da Europa defendido pelo FMI. É que os recortes e as medidas de austeridade previstas no acordo com o FMI, que visam anular todos os direitos sociais e a dignidade das pessoas, também hão de chegar aos tinteiros com que são impressos os mapas. Assim, o novo mapa da Europa bem pode ser parecido ao seguinte:


Nesta nova Europa neo-liberal alguns países como Portugal simplesmente vão desaparecer. Mas não é por arte de magia. A explicação, na realidade, é muito simples. Primeiro, a União Europeia criou o euro para pôr num único mercado economias que eram muito diferentes, umas mais fortes e outras mais fracas. Depois, o Banco Central Europeu criou o Pacto de Estabilidade e Crescimento para aumentar essas diferenças e endividar progressivamente os países mais fracos. E finalmente, o FMI criou as suas “ajudas”, isto é, o programa político que, a troco de alguns ansiados dinheiros, deve ser aplicado por estes países endividados para desta forma conseguir a venda e definitiva liquidação destas economias mais fracas, sem direito a existir na nova Europa. A chamada troika (UE/BCE/FMI) está assim a conseguir concretizar facilmente o seu bem planificado negócio.

Consegue perceber-se que a troika faça tudo isto, pois a sua motivação é simplesmente o dinheiro. No entanto, muito mais difícil é tentar explicar, em Portugal, a motivação dos partidos do FMI para ir aceitando todo este negócio e assinando todo tipo de tratados e de acordos que vão apagando progressivamente do mapa o nosso país. Mas neste processo devem cair algumas migalhas e seguramente estes partidos lá se devem ir conformando com elas.

Sem comentários: