quinta-feira, 13 de maio de 2010

Civilização

Noutras épocas históricas, os ministros que pela sua incompetência, ou pela sua maldade, levavam o país à ruína eram condenados à morte pelo rei e eram rapidamente decapitados.

Hoje, felizmente, isso não acontece. Hoje vivemos numa época muito mais civilizada, na qual todos esses ministros são tratados sempre com o maior dos respeitos e das delicadezas. Prova disto é a recente reunião que, convocada pelo Presidente da República, reuniu dez ex-ministros das Finanças em Belém. Os dez ex-ministros, sem perder nunca a cabeça, falaram alegremente dos bons velhos tempos, enquanto tomavam o seu cházinho, e reflectiram também sobre a situação económica do nosso país, situação essa –diga-se de passagem– que eles tão generosamente nos deixaram.

Depois da reunião, os ex-ministros manifestaram a sua profunda preocupação pela situação do país (afinal, sempre são capazes de preocupar-se) e defenderam medidas adequadas e urgentes para sair da crise. Supostamente, as medidas que eles já aplicaram tantas vezes e com tanto sucesso.

Podemos sentir-nos orgulhosos de viver num país no qual os maus ministros não são já decapitados. Portugal é um país livre já para sempre dessa barbárie. Falta agora, no entanto, livrar-se doutro tipo de barbárie. É a barbárie aplicada sobre o povo português através do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), através da subida dos impostos aos mais pobres, através da descida de salários e pensões, através da privatização dos serviços essenciais do estado… Na verdade, ainda falta muito para Portugal ser um país civilizado.

Sem comentários: